terça-feira, 5 de junho de 2018

Himalaias sobre precipitação nublosa


Meu corpo perdido na montanha
entre pedras íngremes
peso da manhã.
Perdido por um minuto
perdido apenas
no Evereste dos teus olhos.

sábado, 3 de março de 2018

segunda-feira, 26 de fevereiro de 2018

Os vagos sinais na estrada sinuosa

Na estrada sinuosa
vagos sinais emergiam efémeros

Na estrada sinuosa
o meu indicador servia
uma direcção ao acaso

Para quê tanta artéria de sacrifício
se tão gémea é a fortuna?

Não ousem bater à porta quando há eremitismo

Encho a caneca de café
parto para o limite da extremidade
o som
um abismo
um fechar de portas

Não batam, não toquem à campaínha.

Não estarei.

Porto de abrigo em trincheiras / medida oculta no mapa

Remeto-me às trincheiras
que o porto pouco me abriga
e numa briga
um interior - estilhaços.

Há um período de dor
após brechas em gasóleo.

As trincheiras fumegam friamente
a punhalada existêncial.

Há uma distância oculta
uma medida específica
retalhos de uma evasão
que não constava na cartografia.

domingo, 25 de fevereiro de 2018

Silenciamento de genes

Temparatura incerta
o sombreado intacto
ácido ascórbico não nos salva
não há progresso nas enzimas.

Um derrame súbito pelas narinas
uma certeza de catástrofe
um facho de luz ou chance.

Um silenciamento de genes
há longos meses premeditado.