segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Sobre o Animismo e os Pescadores.

Há dias estava a ler o Kalevala, que é o épico nacional da Finlândia, quando me ocorreu este pensamento: A Finlândia é um país com uma forte tradição xamanista. Dentro do xamanismo existe o animismo, que consiste em atribuir às coisas físicas da natureza uma alma. Os pescadores têm entre eles uma maneira de contar as suas peripécias marítimas que vai ao encontro desse animismo.

"A cala não fez feição". "O cabo andou andou foi engatar na hélice". "Resseguei e o raio da nassa não quis engatar." Referem-se às coisas num tom como se elas tivessem uma vontade própria. Tal como nos versos do Kalevala.

Será isso uma tradição de longos séculos? Talvez a vida solitária nos mares lhes tenha incrustado essa crença de que as coisas inanimadas se comportam de certa forma porque querem. Quem sabe se no início os pescadores também eram xamãs...

1 comentário:

  1. Pois, talvez fossem ou talvez ainda o sejam. Mas lá que são crentes que as coisas inanimadas têm vida isso são! Temos o exemplo em casa :)

    ResponderEliminar