domingo, 30 de junho de 2013

Questão Pertinente

Será que é a criação artística que nos leva à loucura ou é a loucura que nos leva à criação artística?

2 comentários:

  1. Relativamente à poesia, que para mim, intuitivamente não é uma arte, mas um trabalho, no sentido mais humilde: tem um significante naquelas costuras que as velhas fazem: assim: "o meu trabalho agora é uma toalha com flores e linhas amarelas"; a poesia que é "o som que o homem faz": a loucura...A loucura dos poetas não é, era essa a distinção que queria fazer, para a qual fui iniciado em Maria Filomena Molder (Semear na Neve) não é a loucura dos alienados, daqueles cuja dor se transformou numa forma separada, em relação à qual se não pode nada fazer: senão uma pancada na cabeça, para descansar, ou um medicamento. Agora, a loucura dos poetas é uma loucura que "administra a sua própria dor" (Herberto Hélder). É extraordinário, é uma forma de loucura que conhece a sua superação/servidão contínua na forma. Não é que o poeta se salve, em rigor não há salvação para o poeta, mas sai do abismo na conformação da forma (repara aqui "conformação" não tem sentido moral) - antes de voltar a, voluntariamente?, despenhar-se nele.
    Luis Silva

    ResponderEliminar