segunda-feira, 20 de maio de 2013

Heranças

Penso que as heranças são um fardo para um minimalista. Se um dos objectivos é reduzir as suas possessões ao essencial, uma herança torna-se automaticamente um obstáculo, enchendo-lhe a vida de novo de coisas supérfluas. Dando-lhe mais encargos e menos liberdade para o que realmente importa. Jogando por terra todos os seus esforços feitos até então.

Quem segue a via da redução pretende livrar-se de coisas e não de as continuar a adquirir. Por isso penso que negaria qualquer herança só pelo alívio que é não acumular mais possessões materiais.

São obstáculos deste género que pretendo evitar. O patamar onde me encontro já é magnificamente estável. Tenho medo da condição de herdeiro.

Sem comentários:

Enviar um comentário